quarta-feira, 20 de março de 2013

The King of Fighters '94


The King of Fighters '94
por Andre-Spike


Introdução

Olá a todos, essa é minha primeira postagem e há tempos penso em fazer um "dossiê" The King of Fighters, dando o meu parecer sobre cada edição. Como podem ver tentei fazer o texto o mais completo possível, e o mais revisado possível, para nunca mais ter que mexer nele novamente. Escrevi bastante mas tenho certeza que quem gosta terá prazer em ler, como eu tive em escrever. Segurem-se na máquina do tempo porque hoje voltaremos para 1994!

The King of Fighters '94 é o inicio de uma das series mais aclamadas dos jogos de luta. Nem parece mas ano que vem já fazem 20 anos do lançamento deste jogo, e lembro-me como se fosse ontem. O conceito principal era reunir os principais personagens da SNK em um crossover, que por si só ja era uma ideia bem interessante visto o sucesso de seus jogos e personagens na época. Mas indo alem disso, ainda foi criado um novo sistema de batalha em jogos de luta, onde os combates são feitos com times de 3 lutadores. Posteriormente foi inserido o modo de edição de times (KOF'95), mas no 94 mesmo com os times fixos já era algo bem original e principalmente divertido. Em alguns aspectos os times fixos são ate interessantes, onde o jogador tem o que aprender a jogar com os outros integrantes do time, era um desafio a mais. Mas com certeza nada se compara ao prazer da customização do seu próprio time. Era difícil uma ideia como essa não dar certo, e não é a toa que como todos sabem, "The King of Fighters" se tornou uma das mais populares franquias de jogos de luta de todos os tempos.



Eu acompanhei de perto na época, pois já era fã das já clássicas franquias FF e AOF, e quando vi o jogo fiquei muito interessado pra ver os personagens principais de ambas se enfrentando. Mesmo com excelentes jogos de luta lançados em 94, o KOF'94 conseguiu sua atenção devido ao inovador sistema e pelo elenco dream team.


Esse crossover alem de misturar as famosas franquias AOF e FF, traz tambem personagens resgatados de series de arcade antigas dos primórdios da SNK como Ikari Warriors e Psycho Soldier, alem tambem de personagens originais da serie.



O legal do 94 é que tem menos foco em personagens específicos, aqui pode-se dizer que basicamente os times tem o mesmo peso, apenas uma leve inclinação para o time do Japão e Brasil. Inclusive foi dito pelo staff que esta era realmente uma das propostas iniciais. Uma das coisas que eu não gostava no KOF posteriormente, foi a enfase muito grande em cima de alguns personagens, e a pouca importancia dada aos personagens das outras series, e isso ocorre menos em 94. Eu sou meio suspeito pra falar porque eu tenho preferencia pelo elenco mais antigo, onde existia uma maior influencia da cultura ocidental, como nas series AOF e FF. Eu cresci nos anos 90, assistindo filmes de ação e luta, então pra mim era muito mais interessante personagens como Terry, Geese, Robert, Takuma, do que personagens que tendiam ao estilo mais anime/manga.



Curiosidade: O crossover da SNK inicialmente ia ser um jogo estilo beat 'em up (luta de fase) e se chamaria "Survivor". Como o jogo iria ser para 3 jogadores, segundo o staff a ideia inicial de time em trios veio dai.


Abertura


A abertura do jogo é interessante, mostra a famosa carta de convite para o novo "The King of Fighters" enviada pelo misterioso [R]. A unica coisa que eu nunca consegui entender perfeitamente o que é dito nos gritos que ficam repetindo nesta parte, alguém conseguiu? Algo como "???? are you ready? c'mon!"

Nesta cena Andy usa a bolsa de viagem comumente usada por Terry.

A abertura também é feliz em mostrar ilustrações animadas dos principais times fazendo as provocações já classicas "OK! ~ Ora ora!". Aqui ja se percebe o estilo de traço caracteristico do 94, onde os personagens não aparecem tão exageradamente fortes como em versões posteriores ou em outros jogos da SNK. Eu gostei bastante deste estilo apresentado no '94, apesar dele ter evoluido consideravelmente no '95, neste aqui ja se percebe claramente a proposta, que é um traço bem mais realista se comparado às outras franquias como Fatal Fury e AOF.

O trabalho foi caprichado, até mesmo colocando um detalhes a mais como o paletó de Robert. Como eu disse é uma abertura simples e rápida, porém eficiente e bem feita.




Tela de seleção


A tela de seleção de personagens é bonita, mostra o logo do jogo acima e um globo terrestre em um formato que lembra o utilizado em "Super Street Fighter II", lançado 1 ano antes.
A música da tela de seleção é bem original e da um clima mais descontraído, algo único na serie. A base rítmica é a mesma da musica do cenário da Itália (Napolitan Blues).


Poucos perceberam mas o KOF'98 retorna ao conceito original usado no 94 do azul e vermelho na tela de seleção.

Gráficos

Dos aspectos visuais do jogo, como já disse ele segue uma estetica mais realista. Os sprites apesar de menores e mais simples, são mais reais que os apresentados nas series FF e AOF até entao. Isso acaba se tornando uma caracteristica da serie KOF, enquanto FF e AOF se tornam cada vez mais com um traço bem cartunizado (tendo seus ápices deste estilo em RBS e AOF3). Particularmente prefiro o estilo adotado no KOF.

Os sprites obviamente tinham de ser menores, principalmente pela grande quantidade de informação na tela, e a quantidade de lutadores carregados quase simultaneamente.

 
Robert '94 - AOF2

Terry '94 - Fatal Fury 2

O KOF'94 se comparado por exemplo à obra prima "Samurai Shodown II" do mesmo ano, tem cenários, sprites e animações bastante simples.

Outra coisa bem evidente na serie desde o inicio, é pouca intensidade nas cores. Se comparado com outras series da SNK, o KOF tem um visual pálido, muita utilização de tons pastéis e predominancia de cores quentes. E isto se manteve uma constante na série, o KOF só passou a ter cores mais vibrantes no '98.

 

Comparação entre jogos lançados pela SNK aproximadamente no mesmo periodo. Se percebe nitidamente a diferença nas cores no KOF'94 em relação a Fatal Fury Special e Samurai Shodown II.

Tanto cenário quanto musica são muito bons e seguem o nivel de qualidade ja estabelecido pela SNK. Os cenários no 94 são extremamente detalhados. Alguns deles chamam a atenção pela quantidade enorme de pixels e movimentação como México e Japão. Mesmo em KOF posteriores, não se vê a qualidade de animação dos elementos do cenário como no '94. Alguns detalhes também fazem bastante diferença como o reflexo nas poças de água na Itália e Coréia.




Compondo o fundo do cenario temos o restante do time esperando a vez e torcendo pelo companheiro de time, eu particularmente acho isso um dos maiores acertos no ponto de vista de composição do cenario. Pessoalmente, me lembro bem que era uma das coisas que me divertiam no jogo, principalmente nas edições posteriores quando se editava o proprio time, nao tinha nada mais prazeroso do que ver os personagens lá um do lado do outro, derrotados ou torcendo, reagindo a cada golpe acertado ou levado. Dava a mais real sensação de times e interação entre eles, que era algo totalmente inovador na época. Uma caracteristica marcante dos KOF classicos, uma excelente idéia que hoje é desperdiçada nos KOF atuais e sem motivo aparente, já que durante um periodo a desculpa eram os strikers e a uso de memoria (Fase de 99 a 2001).

Aberturas

 

Falando em caracteristicas marcantes do KOF, aqui nasce tambem outra delas que são as aberturas do cenario, algo que demonstra grande empenho no detalhismo da parte visual. Essa caracteristica foi mantida até o 96. Também não entendo como acharam interessante troca-las por uma abertura generica no 97, depois retira-las totalmente a partir do 98. Não se mexe em time que está ganhando.

Tela de vitória




Sobre a tela de vitoria, é usada uma ideia interessante onde o ultimo derrotado cai enquanto o time vencedor aparece a frente. Deu tao certo que foi mantida identica no KOF'95, e levemente modificada no '96, apenas sendo retirada no '97. A ideia é provavelmente uma variação da tela de vitória de Samurai Shodown de 93, que era bem similar.


Outra coisa interessante nessa versão 94, ainda sobre a tela de vitória, são as frases ditas pelo time vencedor na tela de vitória. Tiveram todo a atenção de colocar uma frase pra cada integrante dos time, relacionada com o time perdedor. Nada de frases genéricas como nas versões posteriores ou outros jogos de luta no geral. Uma coisa bem simples mas que tambem dá uma riqueza muito maior no jogo.


Benimaru vs. Fatal Fury Team
"Now I've got lots of fans!"
Agora eu ganhei um monte de fãs!"
Realmente o que Benimaru diria ao derrotar o time mais famoso e veterano.

Outros exemplos:





Terry Bogard vs. seu proprio time espelhado:

"Celebs are often Copied."
"Celebridades são copiadas frequentemente."

Takuma Sakazaki vs Fatal Fury Team
"Jeff'd be crying in heaven."
"Jeff (Bogard) deve estar chorando no céu."
Uma referência ao passado de South Town, época do Art of Fighting, ja Takuma conheceu Jeff e sabia suas grandes habilidades.

Terry Bogard vs. Kim Team
"You've got the wrong members!"
"Você escolheu os membros (do time) errado!
Referencia aos membros totalmente destoantes do time da Coréia (explicado mais a frente), ja que Kim ja era seu conhecido do Fatal Fury 2.

Robert vs. Fatal Fury Team
"Now it's clear who's stronger!"
"Agora está claro quem é mais forte!"
Frase que ilustra a principal idéia do jogo que era o confronto entre os personagens de FF e AOF.


Música

As músicas dispensam elogios, o trabalho feito pela Shinsekai Gakkyoku Zatsugidan mantém o nivel excelente de outros jogos da SNK. Varios temas ja nasceram como clássicos. Todas as músicas do jogo são boas e algumas delas retornaram em edições especiais.

Para citar algumas:

Ikari Team - "Jungle Bouncer" - Essa porrada no ouvido marca o início da marca registrada do time Ikari: Maquinas de guerra e guitarras pesadas! Pra decepção dos fãs, a musica retorna no KOF 2002 quase irreconhecível dada a baixa qualidade sonora do jogo.

Woman Team - "Hey!" (ね) - A sonoridade leve e alegre traz vida ao time e cenário inglês. O agradavel tema retorna no KOF'98 onde poucas vezes é ouvido, já que para ser executado o jogador deve escolher o time original das mulheres, coisa rara de acontecer.

AOF Team - "Unusual Tiger and Dragon" (龍虎の変) - Uma das melhores, a tipica sonoridade presente no AOF adentra o KOF com maestria. A música dá um ambiente unico ao interessante cenario mexicano e nada poderia soar mais AOF do que isso. Você já ouve a música imaginando os famosos efeitos sonoros de porrada "POOHH".

Psycho Soldier "K.O.F Version" - O tema original do jogo Psycho Soldier retorna quase intacto. Essa música é conhecida como o primeiro tema musical cantado com vozes digitalizadas em um jogo, no caso no seu jogo original Psycho Soldier. No KOF a música só possui vocais na versão CD.

Efeitos sonoros e vozes

As vozes são reutilizadas dos jogos de origem dos personagens como Fatal Fury Special e Art of Fighting 2, o que traz um charme a mais ao jogo ja que  o jogador ja estava familiarizado com elas. Os efeitos sonoros também são bons no geral, apenas acho estranho o som da defesa, parece que o lutador está batendo no outro com uma varinha de goiaba.

Um fator curioso no 94, é que em alguns cenários como USA, Italia e o Black Noah por exemplo, existem algumas vozes juntamente com a música, criando o ambiente do cenário. Em algumas parece uma torcida, em outras uma narração. A qualidade é ruim do som e é dificil identificar o que é dito. Esse mesmo recurso é usado no Art of Fighting, e eu sempre tive essa curiosidade de compreender o que é dito.



História


Já em relação a historia do jogo, na minha opinião não é algo a ser tão elogiado assim em termos de originalidade. Se analisarmos bem, a historia do KOF 94 é bem preguiçosa. O staff pegou a praticamente a mesma idéia do Fatal Fury 2, o campeonato de "The King of Fighters" se tornando mundial, ao invés de regional (FF1 - South Town) só que com um anfitrião mais poderoso, lunático, e com piores intenções do que Wolfgang Krauser, no caso Rugal Bernstein.


A ideia do próprio campeonato KOF veio originalmente do Fatal Fury, que já era de certa forma um "personagem" da serie, apenas foi adaptado pra serie KOF. Mas mais do que isso, eu sempre achei que o próprio sistema de 3 contra 3 teve alguma influencia do primeiro Fatal Fury. Não existe nada mais emblemático do que a tela de seleção de personagens onde se tem o letreiro "King of Fighters" e abaixo os 3 lutadores, é como uma visão do futuro.



O mais estranho pra mim é que após o sucesso de KOF, meio que houve uma desapropriação do nome campeonato. No jogo "Fatal Fury - Wild Ambition" por exemplo o nome do campeonato é "King of THE Fighters". O jogo é um remake do primeiro Fatal Fury.


Sempre é mencionado também, o descaso com a cronologia das séries originais (FF e AOF) quando o KOF foi criado, foi ignorado que os eventos de AOF ocorrem 10 anos antes de FF, sendo assim a idade e aparencia de Ryo em '94 não poderiam ser as mesmas de Terry por exemplo. É complicado mas, do ponto de vista do design e aparencia é ate irrelevante, não se tem como dizer que o personagem aparenta 20 ou 30. Mas o ápice do descaso mesmo é no KOF'96 onde Geese morto na série FF retorna ao KOF. O que leva a crer no minimo que ambas as franquias não fazem parte da mesma realidade ficcional.



Times representando países

Antes de falar de cada time, vale ressaltar que nesse primeiro KOF foi adotada a ideia de times representando países. Este é o único KOF em que isso ocorre, e é algo bem explícito, onde voce escolhe o time pela bandeira do país até. Bem foi uma ideia que foi logo descartada no jogo seguinte, porém ficou entranhada na cultura da série e no imaginário dos fãs pra sempre. Como exemplo, mesmo com a saida do time USA Sports Team, no 95 o time do Iori (Rival Team) era comumente chamado de time USA (embora o cenario deles realmente fosse em Nova York). O Ikari team até hoje é chamado por muitos de time do Brasil.

É um conceito complicado pois é dificil arrumar países variados para personagens que são basicamente japoneses e americanos em sua maioria. Aí acaba ocorrendo exatamente como no 94, onde os personagens representam países que praticamente em nada tem a ver com nenhum membro do time.

Em alguns casos o pais não tinha nada a ver com nada, e era inserido na historia algo, algum detalhe superficial, que criasse uma conexão.
Exemplo: Ikari Team - Por que Brasil? Simplesmente porque segundo a historia, Heidern teve uma base operacional por lá. Nenhum dos personagens é brasileiro.
Art of Fighting Team - Mexico? Segundo a historia, Takuma Sakazaki abriu um dojo neste país para divulgar o Kyokugenryu, contente-se com isso!

Fatal Fury Team - Itália? O pior de todos na minha opinião. Um cenário filler (que enche linguiça) do Fatal Fury 2 veio virar outro cenario filler do KOF'94. Andy não possui qualquer ligação com a Italia, acredito que o colocaram pra lutar naquele país no FF2 apenas para não colocar mais um cenario nos saturados Japão e USA. Com certeza USA era o país mais adequado pra este time sendo Terry totalmente criado em cima da cultura americana.

A resolução desta questão era simples, bastava usar o mesmo conceito do Fatal Fury 2, onde os cenarios eram apenas cenarios, os lutadores nao estavam representando os paises, apenas lutando neles.
Sem contar que isso não tinha necessidade mesmo, pois os times mesmo nessa época ja tinham um nome e um conceito especifico independente de país (Hero, Ikari, Women, etc).

Times

Itália - Fatal Fury Team

O time do Fatal Fury é formado pelo ja famoso trio de lutadores que enfrentam Geese no jogo original.
Terry, Andy e Joe dispensam comentarios, são personagens que quando entraram no KOF ja estavam consagrados.

Apesar das controvérsias, o cenário da Itália em Veneza é bonito e a musica típica italiana já esta facilmente associada a Andy depois desses anos todos. Napolitan Blues é um tema excelente.


O cenário ainda conta com algumas aparições especias do elenco de Fatal Fury como: Cheng, Bear, Tung, Duck e Jubei a bordo da famosa gôndola veneziana. Detalhe para a bandeira da Alemanha pendurada junto as outras, quem a representa, Rugal Bernstein?


O final do time é na média dos finais do jogo. Após a fuga da explosão do porta aviões e da despedida, uma imagem de Krauser e Geese comentando a vitoria deles sobre Rugal.


México - Art of Fighting Team


A famosa dupla de amigos e rivais Ryo Sakazaki e Robert Garcia é completada com Takuma Sakazaki para formar o time mais forte do jogo. Na fase de produção o staff ja havia percebido que o AOF team estava ficando mais forte que os demais, devido ao seu estilo de gameplay e variedade de seus golpes, e foram balanceando isso. Porem mesmo assim, na versão final o time continuou o mais forte. Todos os personagens vindos do AOF são fortes.

Curiosidade: A ideia do design de Takuma vestindo o kimono, diferente do original no AOF2 veio para diferencia-lo de Goro Daimon.


Uma coisa que me incomoda em Takuma no 94 é que ele não tem animação quando o personagem está parado (idle), como por exemplo antes de o round começar. Sempre quando vejo isso me da a impressão que o jogo está bugado. Eu acredito que isto tenha sido um erro grotesco e não intencional. Já que no AOF2 Takuma se movimenta de forma semelhante ao KOF'95 (imagem da esquerda). Em seu retorno no KOF'98 ele apresenta uma animação de idle bastante discreta mais ainda assim existente.

 Na filial mexicana do Pao Pao Cafe, a roda de capoeira dá lugar aos típicos mariachis. O detalhamento do cenário é muito maior, como se percebe nos dragões e no lustre.

O cenário do México é ambientado no que seria uma filial mexicana do famoso bar de South Town. É um dos cenários mais marcantes do jogo basicamente por 3 motivos: A revisitação de um dos cenários mais famosos do Fatal Fury,  pela enorme quantidade de aparições especiais de outros personagens, e a combinação perfeita que foi criada com a musica tipica de AOF. São tantas aparições que da até preguiça de citá-las, é praticamente um jogo de "Onde está Wally?". Dentre as mais importantes estão Geese Howard, Billy Kane, Richard Meyer (dono do estabelecimento).
à esquerda: Pao Pao Café original em South Town



O Final do time é sem graça e dá inicio a uma serie de finais repetitivos envolvendo o time AOF na serie KOF.


Brasil - Ikari Team

Ikari Warriors é um jogo de tiro para arcade de 86, e um dos primeiros sucessos da SNK. O jogo era mais um no meio de inúmeros jogos que seguiam a mesma linha do jogo "Commando". Claramente inspirado no filme Rambo, até mesmo o seu nome veio do filme "Rambo II" que no Japão se chama (Rambo: Ikari no Dasshutsu ou "A Fuga Furiosa"). Sendo o significado de Ikari, Fúria ou algo semelhante.

Como visto à esquerda, Ralf era praticamente uma copia de Stallone com a faixa vermelha e tudo mais, e Clark nada mais do que um "pallete swap" para o player 2. É importante frisar que esse esquema de times representando países no 94 causou uma série de lendas criadas pelos jogadores, como por exemplo dizerem que Ralf é brasileiro. Ele é americano, é inspirado totalmente em Sylvester Stallone e seu personagem Rambo, portanto sua nacionalidade não poderia ser outra.


Pro KOF seus designs foram refeitos, a faixa vermelha como do Rambo vira a famosa bandana do personagem. Clark, existe a possibilidade de ter seu design inicialmente inspirado em outro famoso ator de filmes de ação da época, no caso Arnold Schwarznegger, pelo cabelo mais claro e oculos escuros (Terminator), para seguir a mesma linha de seu companheiro de time.


É interessante que em um dos finais secretos do kof 97 os 2 aparecem com o design original, com clark moreno! De quebra também aparecem Athena e Kensou com seus designs originais (Old Heroes Team).



Sobre o time Ikari é tambem interessante mencionar que o outro integrante Heidern, é o unico personagem do jogo que ja conhecia o chefão Rugal e tem uma historia atrelada a ele. Pode-se dizer que ele é o principal antagonista de Rugal, o unico que tinha motivos reais para derrota-lo. Um personagem nesse ponto até com mais importancia na historia do que o proprio Kyo. Heidern teve sua tropa dizimada e sua mulher e filha mortas por Rugal durante um ataque em sua base no Brasil.





O cenário do Brasil se passa provavelmente na Floresta Amazônica, e conta com um helicoptero de guerra abatido e alguns índios nativos. Cenários com maquinas de guerra e trilha sonora com guitarra pesada se torna marca do Ikari Team nos 2 primeiros KOF. O Helicoptero traz a inscrição "DEATH FROM ABOVE" assim como o helicoptero do filme "Apocalypse Now".


 O final é um dos mais interessante, já que Heidern realmente tinha motivos para derrotar Rugal.


China - Psycho Soldier Team


Psycho Soldier era um jogo de ação/plataforma para arcade da SNK, lançado em 87. Se trata de uma continuação do jogo Athena que seguia a mesma linha. A diferença é que PS se passa muito apos os eventos de "Athena", inclusive não se trata sequer da mesma Athena. Athena Asamiya é uma estudante e cantora pop que é descendente da deusa grega Athena e possui poderes psíquicos, e aliada a seu amigo tambem psiquico Kensou eles lutam contra o Mal.



Alguns elementos do jogo foram mantidos como os cristais de Athena e as psycho balls, mas o design dos personagens assim como o mestre Chin Gentsai foram criados para o KOF. Particularmente é um trio que nunca me chamou muita atenção, e segue essa linha kawaii (fofa) do jogo, traz um apelo para um público mais jovem.

Athena Asamiya provavelmente tem alguma inspiração em Saori Kiddo de Saint Seiya, uma vez que ambas são jovens reencarnações da deusa Athena e possuem a cor de cabelo semelhantes.



O cenário da China é marcado pelos picos chineses em meio às névoas ao fundo, que são presença garantida na maioria dos cenarios chineses da SNK. Detalhe para as bolsas dos 3 membros do time no canto esquerdo. O templo é bem detalhado e assim como o resto do cenário.


No final Chin apenas explica aos seus alunos que eles devem lutar contra o mal e essa é sua missão.


Japão - Hero Team

O trio do japao conta com 3 personagens originais da serie, que de cara ja foram muito bem aceitos, todos os 3, cada um com seu estilo totalmente diferente um do outro. Na minha opinião esse é um dos pontos fortes deles, os 3 são completamente diferentes, sempre achei divertido ve-los juntos. Diferente de varios outros times do jogo, nesse caso eles não são amigos ou conhecidos de longa data, se aliaram por serem os 3 maiores lutadores do japao naquele periodo, dado o resultado de um campeonato japones.


Uma ideia usada como base pro conceito dos seus poderes e personalidades foi retirado do anime "Getter Robo", onde existe um trio de herois com essas mesmas caracteristicas. O conceito tambem vem de uma antiga frase japonesa que reune os 3 elementos: "A eletricidade bate na terra e inicia a chama."

Kyo Kusanagi nada mais é do que um garoto do colegial japones que usa uma lendaria arte de controlar as chamas. É legal perceber claramente Kyo como um garoto no 94 e seu amadurecimento nas versões seguintes.


Kyo foi um personagem que foi mudado completamente ja no fim da produção, onde antes ele era conhecido como Syo Kirishima, um personagem que seguia a linha de roupas de artes marciais. A mudança se deu para o visual mais urbano e atual do personagem, algo que ja é caracteristico da SNK, o design das roupas de Syo lembrava as de Andy Bogard. 

Os produtores afirmam que quando foi colocado o nome Kusanagi, ja era pensando em usar a lenda de Orochi como historia posteriormente, apesar de no 94 não existir nada relacionado à mesma. 

Benimaru por sua vez foi inspirado no personagem Jean Pierre Polnareff do mangá Jojo Bizarre Adventure. Eu particularmente acho que até ultrapassou um pouco os limites da inspiração, o design é praticamente o mesmo, assim como traços da personalidade. Mesmo corte de cabelo, mesma roupa, mesmas cores. A unica diferença é que Benimaru é um tanto mais afeminado. Já li entrevistas em que foi dito que o pessoal do staff chamava Benimaru de Polnareff o tempo inteiro, tamanha a semelhança. Daimon é o personagem mais simples dos 3, e nem por isso menos carismatico, é um lutador de judô relativamente generico, mas que caiu na graça do publico.



O cenário do Japão em Osaka se torna também uma característica do time. Em varias outras continuações da série, o cenário sempre é em nessas proximidades.


O time japones tem uma historia um pouco mais detalhada, antes do confronto com Rugal, Kyo encontra seu pai Saisyu ferido, e o time luta para salvar a vida dos 4.



Ops...! :O deu merda

Já o final não tem tanta informação a mais em relação aos outros times, os finais seguem uma linha bem simples e repetida onde praticamente só mudam os dialogos, e alguns deles ainda são parecidos. As cenas antes da luta com Rugal são mais interessantes que o proprio final.




Estados Unidos - American Sports Team

Falando em "genérico", o time dos EUA nada mais é do que uma caricatura dos principais esportes americanos. O Heavy-D! eu acho até interessante, é um dos boxeadores mais legais em termos de design, principalmente em sua releitura no 98. O nome Heavy-D! provalvelmente foi inspirado no rapper americano de mesmo nome, o qual fez muito sucesso nesse periodo (92) quando gravou a musica "Jam" com Michael Jackson. Brian Battler acho razoável em termos de conceito, visto que o futebol americano é um esporte violento e com um pouco de boa vontade pode ser adequado a um tipo de combate (Eu curtia o Johnny Maximum no World Heroes 2).

Mas Lucky Glauber pra mim é o mais forçado, o cara joga uma bola de basquete na cara do oponente! Dificil de engolir. Você ao longo do tempo acaba acostumando com o personagem, mas a ideia é bem fraca.

Mas por incrivel que pareça, Lucky teve sua inspiração inicial em um jogador de basquete real. Kareem Abdul-Jabbar foi um jogador de basquete americano que atuou no filme de Bruce Lee, Jogo da Morte de 72, lutando Karate, onde seu personagem enfrenta Bruce Lee.

Fei Long vs. Lucky?

Lucky acabou ficando uma mistura do personagem do filme, e a profissão real de Abdul-Jabbar. Inclusive as cores da sua roupa são as mesma do time Lakers, onde Abdul jogou. Lucky possui uma pintura facial na maçã do rosto, que lembra bastante o logo da NIKE, umas da principais empresas de material esportivo americano. Posteriormente o time inteiro foi excluido na continuação provavelmente (e obviamente) por falta de popularidade. O retorno triunfal deles no dream match KOF98 lhes rendeu a posição de pior time não editado do jogo :[



 O cenário dos EUA se passa embaixo da famosa Ponte do Brooklyn em Nova York. É um cenário legal e se o time não voltou com tudo no 98, pelo menos o cenário deles sim, é um dos mais belos. Tanto no 94 quanto no 98 ainda se vê compondo o fundo do cenário, a presença do World Trade Center, alvo dos atentados terroristas em 2001.

O cenário volta deixando de lado o fator cômico, com a saída das pessoas com visual e atitudes engraçadas, para dar lugar a participações especiais (cameo appearences). É interessante também ver o sinal do tempo nos antigos Volkswagen, diga-se de passagem bastante comuns no Brasil até hoje, Kombi e Fusca.


Brian decide voltar a se dedicar ao futebol americano (melhor coisa que fez!) e os outros 2 ainda querem lutar.



Inglaterra - Women Fighters Team

O time das mulheres tem algumas curiosidades. Com esse conceito de times por países, a ideia era fazer o time da Inglaterra, e segundo entrevista com o staff, foram selecionados primeiramente King e Billy, ambos de nacionalidade inglesa, e por ultimo Big Bear. Sendo que o sprite grande de Bear estava trazendo problemas à produção do game,e juntamente com o sucesso de Yuri no AOF2, acabaram abandonando a ideia formando o time das mulheres com Mai e Yuri.



Pra felicidade dos maníacos, seguindo a linha do AOF, Yuri e King se derrotadas com um golpe especial tem a roupa rasgada. Nos primeiros KOF existia essa preocupação em deixar os personagens bem fiéis aos seus jogos de origem.

O cenário ingles se passa em frente à Tower Bridge, assim como no cenário de Billy Kane no Fatal Fury 2, só que desta vez a vista é de um parque. É o cenário mais colorido do jogo. Uma coisa que sempre me chamou a atenção é a presença de bandeiras com a marca "R" de Rugal, como um tipo de propaganda ou divulgação. O "R" é justamente algo encoberto, pra ser secreto, não representa nada. Seria o mesmo que colocar bandeiras com um "?".


Como os caras sempre tem que fazer algo errado, se até aqui tudo foi muito bonito pro time das mulheres, a ideia de um time só de mulheres, elas também tem espaço nos jogos de luta não é mesmo? Sim isso tudo pra no fim das contas colocar um final que é uma bela trollada em tudo isso. Se liguem no enredo "Quem se importa?" Se o ganharam o campeonato ou não, se Rugal morreu ou não "Quem se importa?" "Nós temos o que queriamos! E valeu a pena". Roubaram as jóias de Rugal e estão satisfeitas com isso, mulher só liga pra dinheiro e jóias!


Coréia do Sul - Kim Team

O time da Korea também tem curiosidades. Segundo o staff, a ideia era fazer o "criminal team". Se percebe que variava a inspiração para a formação dos times. Alguns era por um conceito comum entre os personagens, como neste caso só de criminosos, e em outros era simplesmente a nacionalidade dos personagens, como foi dito na ideia inicial do time ingles.



Pois bem, sabe-se lá como, Kim Kaphwan acabou aparecendo nesse criminal team. Modificaram a historia do time onde Kim tenta fazer o resgate dos 2 criminosos Chang e Choi, os trazendo de volta à sociedade. Com certeza deve ter ocorrido algo semelhante à Yuri no time inglês. Já que Kim era um dos personagens mais populares dos Fatal Fury 2 e Special, e houve uma pressão para coloca-lo no jogo.

Opinião minha, eu acredito que isto essa mudança ja tenha ocorrido em fase bem avançada da produção, já que toda a ambientação do time da Korea ainda tem toda a cara de criminal team, o cenario, a musica (Fear), não tem nada a ver com Kim. O time só vira Kim team mesmo na minha opinião a partir do 96, onde musica e cenario ja ficam mais caracteristicos de Kim, e Chang e Choi inclusive são até uniformizados.

A ideia do criminal team retorna no KOF97 com a chegada de Yamazaki.

Uma curiosidade sobre Chang é que seu DM era pra ser somente um golpe de teste, enquanto não tinha sido elaborado o seu proprio golpe foi colocado uma paródia do DM de Kim mas acabou ficando na versão final.


Choi Bounge foi assumidamente inspirado no personagem de filmes de terror Freddy Krueger, inclusive segundo o staff, ele era até mais parecido com Freddy do que como ficou na versão final. Não sei em que foi feita essa mudança visto que ainda assim ele se parece muito, talvez os oculos escuros e mudança nas cores. Mas até mesmo as cores usadas no design são as mesmas, verde e vermelho. Já vi uma entrevista onde Wes Craven (criador de Freddy) disse que usou essa combinação pois soube que são cores que não combinam e geram uma confusão visual.


Rugal Bernstein - Quando eu digo que Fatal Fury foi usado como base para quase tudo no KOF, podemos pegar Rugal como mais um exemplo. Além de usar o campeonato criado por Geese, o chefão final é também claramente inspirado nos 2 chefes e ex-anfitriões do "The King of Fighters" - Geese Howard e Wolfgang Krauser.


Pegando pelo design é exatamente o que se ve, a mistura dos 2 designs! Rugal tem a estatura e o tipo físico de Krauser, assim como o corte de cabelo e o bigode, só que loiro como Geese. Se Geese era um traficante de armas e drogas, e chefe do crime organizado em South Town, leve para ambito mundial e temos Rugal. Possui sobrenome Alemão como Krauser, e apesar de não ter nacionalidade conhecida, é provavelmente alemão.


A presença dos 2 famosos golpes: Reppuken de Geese e Kaiser Wave de Krauser também refletem isso.

A ideia inicial do staff era que Rugal tivesse varios golpes copiados dos lutadores do elenco, talvez algo como o Kuroko em "Samurai Shodown II", mas devido à limitações na programação a ideia acabou sendo abandonada deixando apenas alguns resquicios, como esses 2 golpes já mencionados, e o refletor de Athena.


Rugal cumpre bem seu papel como vilão, é violento e impiedoso. Não luta apenas para derrotar o oponente e se mostrar superior, mas também os mata friamente os exibindo em forma de estatuas de ferro. Quando o lutador se depara com ele, sua coleção é exibida onde é possivel se ver formas que se assemelham à lutadores da serie Street Fighter, carro chefe da maior rival na época, Capcom.

Atras de Rugal lado esquerdo abaixado provavelmente: Zangief
Mais à esquerda na ainda na posição do Sonic Boom: Guile.
Primeiro na direita: Akuma
Segundo: Fei Long
Terceiro mais ao fundo: Ryu
Ultimo mais ao fundo: Vega (Claw)







A ideia das estatuas dos Street Fighters retorna no crossover "Capcom vs. SNK" onde na introdução da luta entre Guile e Rugal, o americano destrói a sua figura.

Rugal ostenta um poder muito grande quando possui até mesmo um porta aviões particular com alguns caças. O nome Black Noah provavelmente é uma referencia à Arca de Noé.

Uau! 7 caças e um helicóptero de guerra só nesta imagem, sem contar o porta aviões.

Como não possui um time que possa lhe dar assistencia quando em stun (tonto), seu mascote Rodem, uma pantera negra fica no cenario pronta para isso, porem é algo extremamente raro de se ver in-game ja que alem de ser muito dificil dar stun em Rugal, mais dificil ainda isso acontecer justamente em frente à Rodem.




Gameplay, versus, tiers, bugs e afins

Pra encerrar, vou dar um parecer geral sobre os assuntos referentes ao que foi o KOF'94 no proposito mais importante em um jogo de luta, que é a possibilidade de contras (P1 vs. P2). Jogar KOF'94 sozinho é divertido, o jogo é nostálgico, bem feito, e tem suas qualidades gráficas e sonoras.

Porém, para se jogar um bom contra ja se torna um pouco mais deficiente na minha opinião, tanto que hoje em dia, é um dos KOF mais desconsiderados pra versus, tendo os jogadores mais saudosistas escolhido sempre o 95 como maior referencia do formato original.

Os grande problemas no 94 ao meu ver são:

- A grande facilidade de se tontear o oponente: Neste jogo, é certo que qualquer sequencia de 3 golpes, como voadora, soco e golpe especial irá causar stun.

- Sequencia de golpes fracos, principalmente socos, dão altissimo dano e stun. Personagens do AOF team fazem isso com facilidade. Ryo pode aplicar uma voadora com D nas costas, uma sequencia de uns 5 socos fracos e shoryuken com stun.

- Bug de agarrão (infinito): Aqui nasce um dos maiores cânceres do KOF, bugs com agarrão/arremesso de comando. O maior defeito do '94 é este bug. Todos os personagens que possuem arremesso de comando, sendo eles: Heidern, Ralf, Clark e Daimon podem efetuar um combo infinito, onde o oponente é agarrado quando caido no chão. Heidern já é um personagem fortissimo, provavelmente o melhor do jogo, com este bug se torna um deus. Ralf e Clark são personagens razoaveis mas com o bug se tornam letais. Daimon com este bug da uma levantada imensa no time do Japão, que ja não é ruim.

- Cancelamento de golpe com arremesso de comando: Aqui mais uma vez os agarrões bugados dando vantagens a alguns personagens. Se pode aplicar um golpe como C em pé de perto e cancelar com agarrão no vento, causando uma recuperação instantânea.

- Tier: sobre o tier list eu não tenho como ser muito específico pois nao joguei tanto assim o 94 em alto nivel, e nem acompanhei. Mas é sabido por todos que o time AOF é de longe o melhor e muito superior aos demais, mesmo sem contar com bugs. A variedade de golpes, como fireballs, shorys, os fazem ter um excelente controle de espaço, criando muita dificuldade pra personagens de contato como Ralf e Clark por exemplo. Eles são tão fortes, que ouvi dizer que mesmo no jogo KOF'94 Rebout, onde é possivel editar o time, o time não editado do AOF ainda assim é o melhor do jogo.

Em segundo lugar provavelmente vem o Ikari Team com Heidern tendo todas as qualidades mencionadas acima, e de quebra os 3 membros podem aplicar o bug do arremesso. Japão provavelmente vem em terceiro, Kyo e Benimaru são bons, e Daimon pode utilizar os bugs.

O tier na minha opinião fica algo como:

Mexico
Brazil
Japan
Italy
England
Korea
USA
China

Considerações finais

Bem este foi meu "dossiê" KOF'94, onde reuni aqui informações adquiridas das mais diversas formas. Algo que eu já venho pensando em fazer a muito tempo. É algo que eu faço com uma grande satisfação pessoal , e espero que tenham gostado tanto quanto eu. Aguardem ansiosamente pelo KOF'95 que um dia sairá!

Abraços, e lembrem-se...

O futuro é agora!



10 comentários:

  1. Excelente trabalho, André. Um dos melhores posts que já li sobre algum jogo da SNK. E esse certamente é a melhor matéria que já li sobre KOF 94. Adorei a forma como você montou o post e as imagens também. E o que é mais legal é que tem curiosidades a rodo que nunca sonhei que veria ou chegaria a comparar na vida. E tudo faz mesmo sentido. Dá pra ficar antenado do início ao fim.

    Todos os seus posts são ótimos, mas esse foi digno de super produção maior em todos os sentidos (pela carga de informações e edição).

    Eu li tudo e sem cansar. Pra quem ainda não leu, vale a pena pegar e ler com calma. Recomendo até pra quem não conhece jogo de luta (até pelas sacadas do enredo e a sua interpretação sobre elas, fica mais esclarecido muitas coisas e dá pra reconhecer uma certa humanidade injetada ali).


    Se superou, amigo, continue assim e não pare com esse ótimo projeto.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.S. E já na expectativa dos próximos.. como KOF 95 (mencionado ali no final).

      Excluir
  2. Muito boa a matéria André. Ficou com uma leitura que da vontade de continuar cada vez mais até o fim. Parabéns e continue assim.

    ResponderExcluir
  3. Gostei bastante do texto! Sou fã do gênero e já fico no aguardo dos próximos KOF, assim como o Mestre Ryu.

    ResponderExcluir
  4. Curti tb. fico legal de se ler.. so achei que vc podia ter colocado o que eles dizem nos finais coisa que ate hoje não faço a minima ideia pois quando joguei kof 94 era bem pequeno e quando joguei agora a linguagem é em inglÊs que não entendo nada.. rsrs sempre quis saber o que e dito nos finais os dialogos paias que vc mencionou..

    ResponderExcluir
  5. Muito bom André. Ah tempo não via review tão bom. Super detalhada sem ser cansativo de ler.

    Parabéns .

    ResponderExcluir
  6. Incrível cara, li a sua análise todinha e fiquei ainda com o gostinho de "quero mais". Por favor, escreva mais análises, você é foda e desejo muito sucesso à você.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns cara! Excelentes comentários. Bate com muita coisa que eu e meu primo discutimos....

    ResponderExcluir
  8. rapaz a voadora de bruce lee que tu postou ,no world heroes tem aquele clone dele (que todo bom jogo tem de ter um clone do bruce)

    ResponderExcluir